JAMES ANDERSON

JAMES ANDERSON.

As constituições dos Francos-Maçons, Contendo a História, as Obrigações, Regulamentos, para o uso das lojas, tornaram-se conhecidas sob o nome de
" Constituições de Anderson ".
Anderson foi seu redator, desencumbindo-se do trabalho que lhe fora confiado pelo Grão Mestre George Payne. Ali está a história da maçonaria, até os princípios do século XVIII na Inglaterra. Contém as Obrigações, os Regulamentos Gerais, seguidos pelas Lojas ( É o que se espera nos dias de hoje ).
Foram publicadas no dia 24 de Junho de 1723, é o único documento escrito, assim penso, da Maçonaria Moderna. Algumas edições seguiram a primeira publicação : 1738; 1756; 1767; 1784; 1819 e 1827. As dua primeiras, publicadas sob sua responsabilidade,são raridades bibliográficas. A edição de 1784 foi a última que trouxe a chamada PARTE HISTÓRICA, ou a :
" HISTÓRIA DA ARQUITETURA " e começa assim : " Adão, nosso primeiro pai, criado à Imagem de Deus, o Grande Arquiteto do Universo, deve Ter tido as Ciências Liberais, particularmente a Geometria, escritas em seu coração; pois mesmo depois da queda encontramos seus princípios no Coração de seus Descendentes...".
James Anderson era escocês, de Alberdeen, nasceu no ano de 1684, e morreu em 1739. Estudou teologia, tendo colado o grau de Mestre e Doutor.
Em 1710, foi nomeado Pastor da igreja presbiteriana escocesa de Swallow Street, em Londres, onde permaneceu até 1734. Uma curiosa coincidência marca sua passagem nessa Igreja. Ali havia trabalhado o Rev Jonh Désaguiliers, pai de J.Theophile Désaguiliers, que se tornaria Maçom famoso, colaborador
na redação da Constituição e, mais tarde Grão Mestre da Grande Loja.
Em 1730, James Anderson tomou a defesa da Maçonaria. Samuel Prichard havia publicado a
" Maçonaria dissecada, instalando um abalo e um escândalo, combateu, valorosamente, Prichard, o maçom renegado.
Casou se e teve dois filhos. Em 1734 transferiu-se para a Igreja do bairro Leicester Square, Lisle Strett, onde, permaneceu até sua morte, ocorrida no dia 28 de maio de 1739. Jean Palou, na obra Franco Maçonaria Simbólica e iniciática, escreveu: O jornal The Dayle Post, de 02 de Junho de 1739, nos apresenta uma descrição muito interessante de seus funerais: " Ontem à tarde, foi enterrado numa sepultura de profundidade fora do comum o corpo do Dr.Anderson, Professor não conformista. Os cordões do manto funerário eram segurados por quatro Professores da mesma religião e pelo Reverendo Dr. Désaguiliers.Era acompanhado mais ou menos por uns doze maçons que ficaram em torno da sepultura. Depois que o Dr.Earle pronunciou uma olocução sobre a incerteza da existência...etc, os Irmãos tomaram uma solene atitude fúnebre, levantaram sua mãos, suspiraram e bateram três vezes em seus aventais em honra ao defunto." Continua a citação :
" Este texto é sugestivo por mais de uma razão e a expressão de " uma sepultura de profundidade fora do comum " é reveladora de certas sociedades iniciáticas,às quais deveria pertencer o defunto, como aparece aqui o " sinal de horror ", principalmente aquele usado na Maçonaria inglesa.
( fls. 51/52 )
Deixou escritos Sermões ( Unidade na Trindade ) " testemunhos de sua fé cristã e de que, ao contrário do que foi dito, ele jamais aderiu ao deísmo filosófico ". O Sermão do Dia da Saúde; Assassinos do Rei, e não; Crença nos Santos; a Prisão dos Devedores. Escreveu, também a Genealogia Real, versando os Imperadores, reis e princesas, desde Adão. Os livros Conversas com os Mortos e Notícias de Elysium.
Os que escreveram sobre Anderson, informam que ele perdeu,e muitos outros também, perderam seus bens ou fortuna, no desastre financeiro de 1720, em Londres. Até hoje não se sabe o lugar e data de sua iniciação. Foi Venerável da Loja número 17.Segundo Kurt Prober ( minha biblioteca possui toda sua obra ) em 1723, foi Grande Vigilante da Grande Loja. Seu nome aparece nos registos das Lojas Horne Tavern e na Lodge of Salomon's Temple, de Westminster e Hermmings Row, em 1723 e 1725, respetivamente.
Robert Ambelain, em seu livro El Secreto Masónico ( La franc-Maçonnieire Oubliée), Ediciones Martínez Roca, S/A Barcelona, Espanha, trás interessante Capítulo sob o título Irregularidade de La Gran Logia de Inglaterra, onde aborda a figura de James Anderson. Em resumo, diz ele : a partir de Setembro de 1714, Anderson passou a divulgar e educar profanos nas ideias maçonicas e que, no fim do ano, provavelmente, no dia se São João, fundou uma Loja com sete membros, no local onde reuniram, na Taverna Goose and Giridiron
( O Ganso e a Grelha), Loja essa que no ano seguinte se converteu na Loja Antiquity.
Continua Ambelaim: Anderson não era Mestre da Loja, nem sequer maçom regular, por isso não podia transmitir a iniciação maçonica. Não se encontrou rastro de sua iniciação. Era capelão da Loja, situação ocasional, quando ha necessidade de seus serviços particulares. Dentro do título do Capítulo, Ambelain escreve, ainda, que mais tarde, em 1717, estes maçons, que ele chama de irregulares, constituiram quatro Lojas, que viriam a formar a Grande Loja de Londres.
Ambelain descreve, nos mesmos termos aqui consignados anteriormente, os funerais de Anderson.
As observações de Ambelain conduzem a outras, que entendo interessantes.
Não se sabe a respeito de sua iniciação. As notícias são do tempo da maçonaria operativa. Capelão da Loja ( no rito Emulação, conservou-se o Capelão, o orador de Hoje nos demais ritos); fala no Médico da Loja, ambos com funções distintas, a religiosa ou espiritual e a referente à saúde de seus membros.
O livro é muito interessante e, no mesmo capítulo há referência curiosa ao problema, mas sempre atual, do relacionamento da Igreja Católica com a Igreja Anglicana e, especialmente, no que se refere à discutida regularidade apostólica dos seus bispos. Ambelain diz que a maior parte deles são membros da Grande Loja da Inglaterra.
Como se vê, os assuntos se multiplicam e escapama estas linhas que traçaram o perfil de Anderson e um pouco de sua história.
Seu nome e seu trabalho passaram pelo crivo impiedoso dos críticos, inclusive maçons de nome. Entretanto, ninguém conseguiu retirar-lhes os méritos, que foram muitos e incontestáveis. O seu trabalho confere -lhe o direito de ser chamado : UM NOME ÍMPAR na historia da maçonaria.

Bibliografia :

Ambelain, Robert,
El Secreto Masónico.

Aslan, Nicola.
Dicionário.

Ligou, Daniel,
Dictionnaire de la Franc-Maçonaria,

Mackey, A.G.Encyclopédia,

Coil's,
Masonic Encyclopédia,

Mellor, Alec.
Discionário e

Prober, Kurt ( Isa Chan , Pseudônimo )
A bigorna.

Pesquisa Ir. José Humberto de Oliveira MM.'.